História de feirantes – Fronhas com estampas que divertem

As fronhas divertidas estão há 8 anos na Feira do Largo da Ordem. O Sr Reinaldo expõe produtos que ilustram de maneira interativa e atrativa o dia a dia de casais, para que estes se imaginem em situações divertidas.

Vale muito a pena conhecer. É uma boa dica de presente para o dia dos namorados, aniversários de namoro ou simplesmente para fazer sorrir aquele ou aquela que você ama.

São mais de 60 modelos que ilustram casais em ação e reação, tração com Imã, gangorra, cachorrinhos namorando, beijo roubado, passeio de bicicleta, entre diversas outras opções muito criativas.

Casarios em pedras petit pavê

Outro produto que ele expõe, são os casarios pintados em pedras petit pavê. É  nessas peças, segundo seu Reinaldo, que ele encontra seu verdadeiro eliminador de stress. São peças únicas, exclusivas e cada uma delas com um toque delicado. Você pode usá-las como decoração em sua casa, seu escritório e até mesmo em jardins internos.

Estar na feira aos domingos para o seu Reinaldo é como sentir que a vida continua. Ele diz, “Lá estou sempre rodeado de pessoas amigas, interessantes, criativas, do Brasil e do mundo, o que não é pra qualquer um e, além do mais, como brinde, complemento a renda familiar.”

Gostou dos produtos? Você encontra o seu Reinaldo, todos os domingos, na Feira do Largo da Ordem em sua barraca na rua Kellers, quase esquina com a rua Julia da Costa.

Clique aqui e veja mais produtos da barraquinha do Sr Reinaldo.

Compartilhe com seus amigos e veja outras postagens do blog ;D

Veja também: Suculentas e cactos em miniatura na Feira do Largo da Ordem

 

Talento de raiz – Produtos feitos em madeira

Madeira transformada em verdadeiras obras de arte

Domingo é dia de encontrar a Maria e o Antônio Pol, mãe e filho que têm uma das barracas mais incríveis da Feirinha do Largo da Ordem. Eles fazem proezas com madeiras encontradas na natureza. Árvores que já não respiram mais, que tombaram de velhas, ganham vida nova nos trabalhos únicos que eles criam. Continuar lendo

Histórias de Feirantes – Caixinhas de Atitude embaladas para presente.

José Oliva, criador das Caixinhas de Atitude

Já imaginou sair por aí e encontrar atitudes que vem em caixinhas? Não, não ficamos loucos não. Já vamos explicar. As Caixinhas de Atitude estão completando 18 anos de muitas mensagens e reflexões, e é claro, atitudes.

Você já acompanhou por aqui a história de alguns feirantes certo? E como a gente adorou mostrar isso pra você, trouxemos mais esta belíssima iniciativa.

Entendemos que a Feira do Largo da Ordem é composta de muitas histórias extraordinárias que valem a pena serem contadas. Seja bem vindo à esse mundo, de pessoas especiais, de desafios, de propósitos, enfim, de vida…

Continuar lendo

VOCÊ PRECISA DE UM GRILO OU OUTRO

Na Feirinha Hippie, como muitos ainda chamam a Feira de Artesanato do Largo da Ordem, há vários artesãos antológicos. Entre eles, Adilson Albano, também conhecido como Grilo. Ele está ali desde a época em que não havia barracas, apenas os panos sobre o histórico piso de paralelepípedos, a feirinha ia da rua do Rosário até perto do Schwarzwald, o Bar do Alemão. Bem menor que o mar de mais de 1.000 barracas de hoje em dia.

Voo do grilo.

Lá se vão 45 anos desde que o piá de 11 anos, descendente de poloneses, pediu a ajuda do avô pra fazer um trabalho inovador para uma feira na Escola Estadual República Oriental do Uruguai, no bairro do (arruia!) Capão da Imbuia. Seu Osinski não teve dúvida: “vem cá, vamos fazer um grilo de madeira”, disse o velho marceneiro. Sem que soubessem, este momento mudaria para sempre a trajetória de Adilson.

Com a ajuda do avô, nascido em Varsóvia no começo do  século XX, o bichinho de madeira ficou perfeito. Ele surpreendeu colegas e professores e tirou uma nota alta. Com o tempo, o grilinho virou um enfeite, que empoeirava e ficava desfocado, como costuma fazer o tempo com tanta coisa.

O incansável e viciante grilinho…

Lá pelos 20 anos, começou a frequentar a feira, quando um amigo lhe disse: “Você vem na feirinha só pra ver as gatinhas, porque não vem trabalhar?”. “Mas com o quê?”, perguntou o piazão que nesta época já era funcionário do Serpro. “Com aquele teu grilo!”. Aí veio o estalo e naquela semana, após tirar a licença para vender na feira, ele fez 400 grilos. Faltou grilo, saíram todos. O sucesso foi tanto que ele decidiu deixar o Serpro, onde queriam mandá-lo para um curso de programador no Rio de Janeiro. Ele pensa em como tudo poderia ter sido se tivesse continuado no Serviço Federal de Processamento de Dados. Talvez tivéssemos a nossa versão brasileira de Bill Gates?

O grilinho pula alto!

De lá pra cá, seus grilos deram saltos gigantescos, estão em todo o Brasil e no mundo: México, Itália, EUA, Japão… São clientes fiéis que sempre que voltam a Curitiba levam os grilinhos para dar de presentes aos parentes, amigos ou clientes. O Grilo rodou o país em feiras e eventos e de pulo em pulo, comprou caminhão, casa e formou filho engenheiro.

O grilo é um brinquedo simples, mas que encanta a todos, em especial a criançada, que brinca incansavelmente com ele e até esquece os tablets, a internet e os desenhos. Mas não raro um adulto fica comprimindo as perninhas de aço contra uma superfície lisa, até a borrachinha circular grudar, à espera do pulo alto do bichinho. E vai repetindo a dose enquanto pensa em como vai resolver os seus outros grilos…

O produto mais querido da Feirinha em todos os tempos?

Ele poderia ter sido programador ou ainda jogador de futebol. Treinou no Esporte Clube Pinheiros e ia pro profissional, mas preferia jogar bola com os amigos pra se divertir, numa relax, numa tranquila, numa boa e continuar com o grilo. Centenas de milhares de crianças não sentem falta de outro fenômeno ou de mais um nerd da informática. Os momentos mágicos que os grilinhos proporcionam, fizeram, e fazem, a infância delas muito mais feliz.

A criançada não cansa de fazer o grilo pular!

Onde: Feira do Largo da Ordem, na rua Dr. Claudino dos Santos, esquina com rua do Rosário, em frente à igreja Presbiteriana.

Quando: Todos os domingos das 8:00 às 14:30.